Porto Alegre (AE) – Após a incrível vitória de 1 a 0 sobre o Náutico no sábado à tarde, quando tinha apenas sete jogadores em campo, o time do Grêmio teve recepção de campeão mundial em Porto Alegre, na tarde deste domingo, depois da conquista invicta do título no quadrangular final da Série B e o conseqüente retorno à elite do futebol brasileiro.

Com direito a desfile em carro de bombeiros pelas principais ruas e avenidas de Porto Alegre, a delegação não teve contato com os quase três mil torcedores que aguardavam jogadores, comissão técnica e dirigentes no aeroporto Salgado Filho.

E o mais importante, além da conquista do título, é a permanência de Mano Menezes no comando do time para temporada de 2006. O acordo verbal, embora o treinador não confirme, foi feito no vôo de volta de Recife/Porto Alegre, com o presidente Paulo Odone Ribeiro: "É claro que foi um título importante, mas ainda não tem nada definido", despistou Mano. E acrescentou, já no estádio Olímpico, onde uma festa com muita música, um palco montado no gramado e aproximadamente dez mil torcedores festejavam o título da Segunda Divisão: "O negócio agora é comemorar este título e agradecer aos torcedores que sempre acreditaram no time, na comissão técnica e nos dirigentes. Eles foram fundamentais para tirar o time do inferno que é a Série B do Campeonato Brasileiro".

Mais festejado do que Mano Menezes foi o meia-atacante Ânderson, autor do gol da vitória após passar por três zagueiros adversários: "Sempre tive a certeza de que o Grêmio voltaria à Série A, de onde nunca deveria ter saído. Agora posso ir descansado me apresentar ao Porto", desabafou Ânderson, que no sábado fez a sua última partida pelo Grêmio.

Já o goleiro Galatto, o outro herói do jogo, pois defendeu o pênalti cobrado por Ademar, confessou que teve sorte: "Algo me dizia que deveria ir no canto. Fui e tive sorte, pois a bola bateu no meu joelho e, a partir dali veio a nossa reação, com aquela grande jogada do Ânderson que nos deu a classificação à Série A".

O presidente Paulo Odone era um dos mais emocionados. Depois da comemoração anunciou que a partir desta segunda-feira, já começa o planejamento para 2006: "Aliviados depois do sufoco que foi esta competição, não podemos parar. Teremos mais dinheiro vindo da televisão e temos que armar uma equipe competitiva conforme exige o nível da Série A".

Quase todos os jogadores, que têm seus contratos terminados no final de dezembro, deverão ser dispensados. Poucos ficarão no clube em 2006.