A paralisação dos auditores fiscais da Receita Federal já provoca uma ociosidade média de 80% nas Estações Aduaneiras de Interior (Eadis), também chamadas de portos secos. A informação é do presidente-executivo da Associação Brasileira de Empresas Operadoras de Regime Aduaneiro (Abepra), Luiz Manoel Mascarenhas. ?Estamos vivendo o caos?, disse.

O protesto dos auditores fiscais começou em abril e se intensificou este mês, trazendo atrasos para a liberação de cargas de importação. Segundo a Abepra, existem no Brasil 57 Eadis, num total de 4,8 milhões de metros quadrados de recintos alfandegados.

De acordo com Mascarenhas, o setor representa até 20 mil empregos diretos e indiretos. Ele acredita que os portos secos terão uma queda significativa nas receitas no mês de junho, em relação ao mesmo período do ano passado.