A direção do Hospital de Clínicas infomou que pela manhã 92 dos 1.361 funcionários aderiram à greve. O problema é que esses servidores são das áreas de manutenção, lavanderia e higiene do hospital, consideradas estratégicas para o funcionamento do hospital.

O diretor do HC, Giovani Loddo, disse que por enquanto isso não chegou a afetar os serviços, mas se a greve continuar, terá que pedir apoio dos outros hospitais e reduzir os atendimento à população.

Os servidores afirmaram que hoje o HC está com 411 pacientes internados e 149 leitos vagos. Eles ameaçam responsabilizar o hospital se mais pacientes forem admitidos.

Os servidores que aderiram à greve são celetistas, contratados através da Fundação da Universidade Federal do Paraná para o Desenvolvimento da Ciência, da Tecnologia e da Cultura (Funpar). (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)