A decisão de incorporar à Agência de Fomento os créditos de dificil recuperação do Banestado foi do governo do Estado, e não uma imposição do Banco Central, informou a ex-diretora de Fiscalização desta instituição, Tereza Grossi, no depoimento que prestou hoje à CPI do Banestado instalada na Assembléia Legislativa. Constava na proposta de saneamento do banco que o governo enviou à apreciação do Senado.

Sobre uma declaração que fez ao depor no Senado, em Brasília, de que a Banestado Leasing era administrada ?por uma quadrilha?, afirmou que o Banco Central, tão logo detectou irregularidades, tomou as providências cabíveis, inclusive com a comunicação ao Ministério Publico. O mesmo se deu em relação as contas CC-5. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)