O historiador José Murilo de Carvalho, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), considerou o pronunciamento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva positivo. Porém, "insatisfatório para a população mais informada", principalmente após o depoimento desta quinta-feira do publicitário Duda Mendonça, na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios.

"O pronunciamento só deve ter sido satisfatório para a população menos informada, de quem o presidente ainda tem grande apoio. Apesar de insuficiente, isso já foi muito melhor do que o silêncio", analisou.

Segundo o historiador, o presidente "ao dizer que não sabia de nada, que foi traído, pode-se dizer que ele não tem culpa nenhuma, mas de outro lado abre-se espaço para passar uma imagem de uma pessoa que não sabia o que estava se passando dentro do próprio Palácio".

Ele também considerou que Lula fez um pedido "disfarçado" de desculpa, "quando usa o ?nós? para se desculpar e, ao mesmo tempo, diz que não tem responsabilidade diante das acusações, e que foi traído".

José Murilo de Carvalho destaca que "todas as coisas ditas por Lula são sempre conjugadas com ?eu?; eu criei o partido, eu fiz isso e aquilo, mas na hora da desculpa, ele coloca o ?nós?". Segundo ele, "é claramente uma tática de jogar a culpa no partido e de transmitir que não sabia o que estava acontecendo; que o partido o traiu". Diante disso, Carvalho conclui: "ou ele continua nesse partido ou tem que procurar outro tipo de base de apoio político; essa pergunta fica no ar".