O padeiro João Batista da Silva, 42 anos, foi morto dentro do próprio veículo no início da tarde desta terça-feira (5), no Campo de Santana, em Curitiba. Ele dirigia um HB20 na Rua Marcos Bertoldi, altura do numeral 1561, quando um outro veículo ‘encostou’ ao seu lado e fez vários disparos de arma de fogo. Batista foi atingido por três tiros e não resistiu aos ferimentos. O Siate chegou a ser acionado para o socorro. A polícia descarta tentativa de assalto.

Segundo a perícia da Polícia Civil, foram duas perfurações no peito, na região do coração, e uma no braço esquerdo. “Ele esboçou um movimento de defesa, por isso o tiro no braço. A gente pode ver que o projétil é de calibre .38. Foram disparos feitos emparelhados, ou seja, o atirador estava lado a lado com a vítima, atirando pela janela”, disse o perito criminal José Silvério.

O delegado Thiago Nobrega de Almeida, da DHPP, disse que é cedo para traçar uma linha de investigação. “Pelo que a gente ouviu de parentes, o homem era trabalhador, padeiro, natural de São Paulo e estava há muitos anos no Paraná. A família desconhece ameaça, desavença ou envolvimento com drogas, agiotagem, que pudessem justificar um crime tão bárbaro. Pelas imagens que observamos, um outro veículo, um Citroen C4, emparelha com o carro da vítima. Eles conversam alguma coisa, na sequência disparam os tiros. Não Acho que seja uma tentativa de assalto”, disse Nobrega.

A polícia deve buscar mais informações com parentes e amigos, até obter uma linha de investigação. O corpo de João Batista foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

Agente penitenciário que era mantido refém em presídio na Grande Curitiba é solto