O Dia do Enfermeiro foi comemorado no Hospital da Polícia Militar do Paraná, nesta quinta-feira (12), com uma palestra sobre motivação profissional. Não só os enfermeiros, como os demais profissionais da área médica que trabalham na unidade receberam dicas de como manter a auto-estima elevada para que o resultado do tratamento dos pacientes seja cada vez melhor. ?De nada adianta ter médicos e outros especialistas se não temos a boa atuação dos enfermeiros. Tudo o que é idealizado não é posto em prática sem o pessoal da enfermagem?, comentou o diretor de saúde do HPM, tenente-coronel Ciro Hélio Kessel.

O professor de Educação Física Guto Zafalon demonstrou quais atitudes são importantes para que o trabalho produza resultados melhores. Questões como o controle do estresse, a manutenção do bom humor, a procura por manter uma boa qualidade de vida, prática de exercícios físicos, bem como a busca pelo equilíbrio pessoal foram abordadas na palestra. ?Precisamos ter esse equilíbrio, porque lidamos com pessoas que estão com a saúde debilitada e é importante que passemos confiança para elas, que, assim, conseguem uma recuperação mais rápida?, comentou a soldado Lídia Maria Ferreira, enfermeira do HPM. Este é o quarto ano que a data é lembrada com atividades desse tipo.

A solenidade contou com a presença do comandante-geral da Polícia Militar, coronel David Antônio Pancotti, e integrantes da diretoria do hospital. ?Desde que assumimos, colocamos em prática o princípio da construtividade e buscamos investir no ser humano, antes de pensar que ele é policial militar?, disse o coronel. Ele destacou a importância do investimento que a direção do HPM faz na qualificação do seu quadro de funcionários. ?Não medimos esforços para que eles possam estar se atualizando em cursos, pois isso reflete positivamente na qualidade do serviço prestado ao nosso paciente?, lembrou o coronel Ciro.

Voluntário

O sargento Francisco de Almeida Lopes, na reserva remunerada da Polícia Militar há 22 anos, cantou uma música para lembrar a passagem da data e fez questão de demonstrar o amor pela profissão. Aos 73 anos de idade, Lopes é voluntário no setor de enfermagem do hospital. ?Chego às seis e meia da manhã e vou embora às seis da tarde. Faço esse trabalho voluntário, porque sou orgulhoso da minha atividade?, disse. O sargento foi aplaudido de pé por todos, que reconheceram a dedicação dele no cuidado com os pacientes.