Foto: Venilton Kuchler/SESA
Ala que atende pacientes com aids e
tuberculose teve sua estrutura
reformada.

O secretário de Estado da Saúde, Cláudio Xavier, inaugurou nesta segunda-feira as novas instalações da unidade de Infectologia do Hospital do Trabalhador, em Curitiba. A ala, que atende pacientes de aids e tuberculose, teve toda a sua estrutura reformada em um período de 60 dias. “O Hospital do Trabalhador é um exemplo de excelência e a inauguração da nova ala é uma prova de que o serviço público pode ser da melhor qualidade”, disse Xavier. O governador Roberto Requião enviou telegrama cumprimentando a direção do hospital pela reinauguração da unidade.

O evento contou com a presença de autoridades estaduais, municipais e de médicos. Foram investidos R$ 200 mil em infra-estrutura e outros R$ 25 mil no novo mobiliário. A ala oferece 17 leitos, numa área de 300 metros quadrados, e a reforma teve como principal objetivo tornar mais humano o atendimento aos pacientes de aids e tuberculose, que permanecem internados por mais tempo no hospital. Entre as melhorias da nova unidade está um visual mais claro, para ajudar na recuperação dos pacientes. Foi construída inclusive uma área aberta, onde os doentes podem tomar sol.

No ano passado, a unidade de infectologia atendeu 168 casos de aids e 46 de tuberculose. Durante as obras, a ala funcionou em um local provisório dentro do hospital. Segundo Cláudio Xavier, o Paraná já é modelo no atendimento a aids e o objetivo da Secretaria é melhorá-lo ainda mais.

O HT é administrado pelo Estado, e possui convênios com a Universidade Federal do Paraná (UFPR), através da Funpar, e com a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba. “O atendimento no HT é uma prova de como é possível avançar na qualidade do Sistema Único de Saúde”, afirmou o secretário Cláudio Xavier.

Para o reitor da UFPR, Carlos Augusto Moreira, as ações do hospital “estão trazendo resultados fantásticos para a sociedade”. Segundo ele, “o Hospital do Trabalhador já é o melhor pronto-socorro de Curitiba e se encontra num local estratégico. Não é um hospital só de assistência, mas também de ensino. Está mudando a sua imagem e eliminando a estigmatização de suas origens”.

Durante muitos anos, o HT funcionou apenas como unidade de tratamento de tuberculose, sendo conhecido como sanatório. Hoje, é referência em diversas especialidades, desde a infectologia, até maternidade e pronto-socorro. Segundo o diretor geral do HT, Geci Labres de Souza Júnior, com a nova ala, o hospital tem agora uma infra-estrutura adequada, que vai melhorar o desempenho dos funcionários e favorecer a recuperação dos doentes.

Essa é a segunda grande reforma feita no HT nesta gestão. No final do ano passado, foi inaugurada a nova ala de pediatria. Daqui a dois meses, o HT vai inaugurar novas obras, como a recepção para o ambulatório geral e o ambulatório de saúde do trabalhador de referência macrorregional para atendimento aos pacientes com lesão em função da atividade profissional. Nessas obras serão feitos investimentos no valor de R$ 264 mil.