Equipes do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) realizaram uma blitz fiscalizatória em 200 quilômetros do Rio Iguaçu, entre Porto Amazonas e São Mateus do Sul ? região Sul do Estado.

Mais de 50 pescadores foram abordados durante os dois dias de blitz. Não houve autuações, mas foram apreendidos cerca de dois mil metros de rede que estavam abandonadas submersas no rio.

Os responsáveis pelo material não foram localizados. Vinte quilos de peixes que estavam presos às redes foram devolvidos ao seu habitat natural e o material recolhido será encaminhado para incineração. ?Estamos trabalhando para acabar com a pesca predatória nos rios paranaenses. Os investimentos em fiscalização realizados nessa gestão estão proporcionado o aumento no número de apreensões?, afirmou o presidente do IAP, Rasca Rodrigues.

Além de fiscalizar cerca de 10% da extensão navegável do rio, também foram monitoradas áreas conhecidas como ?alagados?, onde o rio está fora de seu eixo, formadas devido à freqüente ocorrência de chuvas e conseqüente aumento do volume de água do rio.

Durante a fiscalização, a equipe também orientou os pescadores quanto à legislação ambiental direcionada à pesca amadora pois é proibida a pesca profissional, com redes, no Rio Iguaçu. De acordo com os fiscais, para prática da pesca embarcada é necessária autorização e registro junto ao Ibama ? tanto para o barco, como para o pescador.