O lançamento de duas novas variedades de feijão é a principal atração que o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) preparou para a ExpoLondrina 2008, que acontece de 3 a 13 de abril no Parque de Exposições Ney Braga. O lançamento será logo após a cerimônia oficial de abertura da 48a. Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina.

Estão confirmadas as presenças do ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes; do governador Roberto Requião, secretário da Agricultura Valter Bianchini, dentre outras autoridades que serão recepcionadas pelo diretor-presidente do Iapar, José Augusto Teixeira de Freitas Picheth, diretores técnico-científico e adjunto Arnaldo Colozzi Filho e Tiago Pelini, diretor de administração e finanças, Altair Sebastião Dorigo, a diretora de recursos humanos, Maria Lúcia Crochemore, além de equipe de pesquisadores e técnicos da instituição.

Destaque agronômico

Recentemente finalizadas pela área de melhoramento genético da instituição, IPR Eldorado e IPR Siriri têm grãos do tipo carioca e se destacam pelas vantagens agronômicas que oferecem aos produtores ? como tolerância à seca e a altas temperaturas, alto potencial produtivo e resistência às principais doenças que afetam a cultura no Paraná ? e, ainda, pelas ótimas características culinárias e nutritivas que interessam ao consumidor final.

A resistência ao mosaico-dourado, considerada pelos pesquisadores a pior doença que afeta lavouras de feijão em zonas de clima tropical, é o grande diferencial de IPR Eldorado frente a outros materiais disponíveis no mercado.

O mosaico-dourado é causado por um vírus, transmitido pela mosca-branca (vetor), e a infecção ocorre quando o inseto suga a seiva das plantas para se alimentar. Nas variedades suscetíveis, as plantas ficam deformadas, com as folhas amareladas, podendo ocorrer perda total da produção. Não há controle químico eficiente para a virose, de acordo com os especialistas na cultura.

IPR Eldorado é indicada para plantio no período que vai de dezembro a abril, em regiões sujeitas à ocorrência do mosaico dourado no Paraná. Com ciclo de aproximadamente 75 dias, tem boa tolerância a altas temperaturas e períodos de deficiência hídrica. Seu potencial de rendimento pode chegar a 3.700 kg/ha. O cozimento é rápido e dá bom caldo.