A seleção brasileira masculina de vôlei terá dois importantes desfalques na abertura da Liga Mundial. Os titulares Giba e Gustavo não vão enfrentar a Venezuela, fora de casa, no sábado e no domingo.

"Desde a semana passada, o Giba teve fraqueza e não sabemos se é dengue. Ele foi liberado para descansar em casa, Curitiba, fez exames lá e amanhã, quando ele voltar, saberemos os resultados", disse o técnico Bernardinho. O jogador, inclusive, pode desfalcar o Brasil nos confrontos com Portugal, em Lisboa, nos dias 4 e 5 de junho, e Japão, dia 11, em Nagoya. "É uma pena porque ele estava bem e chegou melhor do que nos outros anos."

Já Gustavo, após ter sido campeão italiano pelo Sisley Treviso, ganhou alguns dias de folga e se apresentará somente na segunda-feira. Sua participação nos confrontos contra portugueses e japoneses também é uma incógnita, por causa das condições físicas.

Diante das ausências, Bernardinho ainda não conseguiu confirmar a equipe titular para os jogos na Venezuela. Mas a única dúvida é o substituto de Gustavo: Henrique ou André Heller. Afinal, Murilo ficou com a vaga de Giba. Os demais jogadores são: Dante, Rodrigão, André Nascimento e Ricardinho.

"Não será a estréia que gostaríamos, mas as circunstâncias foram desfavoráveis", admitiu Bernadinho, lembrando que o time brasileiro ainda precisa melhorar o bloqueio e o passe.

Liderança

Com a ida de Nalbert para o vôlei de praia, a seleção brasileira ficou sem capitão. Por isso, Bernardinho promete apontar nesta quarta-feira, em reunião com os jogadores, o escolhido para o posto.

Mas o treinador já havia dito que o substituto de Nalbert seria Ricardinho, Giba ou Gustavo. Como os dois últimos não estarão na Venezuela, o levantador deve ser apontado como o capitão do time.

"A probabilidade de o capitão ser o Ricardinho contra a Venezuela está aí. Agora, irei ver se o jogador escolhido contra os venezuelanos ficará definitivamente ou só por um jogo", revelou Bernardinho. "E para explicar o que é ser o capitão vou fazer uma reunião, com a presença de ex-jogadores, como o Nalbert, e chegar a um consenso. O meu nome já tenho."