Rio (AE) – A indústria de São Paulo cresceu acima da média nacional em junho e no primeiro semestre de 2005, período em que as regiões com maior destaque nas exportações e produção de bens duráveis (automóveis e eletroeletrônicos) apresentaram o melhor desempenho. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje (10) crescimento em 13 dos 14 locais pesquisados no acumulado dos seis primeiros meses de 2005. Apenas o Rio Grande do Sul, com sérios problemas na safra agrícola, teve resultado negativo.

Os resultados regionais confirmaram não apenas a influência das vendas externas e do crédito no desempenho industrial, como mostrou o IBGE nos dados nacionais divulgados semana passada, mas também a reação do setor no segundo trimestre, após estagnação nos três primeiros meses do ano. A economista Isabela Nunes Pereira, da coordenação de indústria do instituto, destacou que 9 das 14 regiões reagiram a partir de maio, inclusive as de maior peso na pesquisa, como São Paulo, Rio e Minas Gerais.

No acumulado do primeiro semestre, os resultados acima dos 5% de crescimento no total do País, conforme já divulgou o IBGE, ocorreram nas indústrias do Amazonas (20,2%), Paraná (8%), Minas Gerais (7,7%), Goiás (6,9%), Santa Catarina (6,5%), São Paulo (6,3%), Ceará (6,1%) e Pará (5,2%). Em junho, comparado a igual mês do ano passado, 9 dos 14 locais pesquisados apresentaram expansão.

Para essa pesquisa, não há dados de comparação com mês anterior. Segundo Isabela, as quedas ante igual mês de 2004, em locais como Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, são pontuais e podem ser revertidas em julho. No caso da indústria gaúcha, a quebra de safra desestimulou os investimentos em máquinas e equipamentos agrícolas, com forte peso na estrutura industrial do Estado. Para a economista, apesar da queda, o ritmo da redução do primeiro trimestre desacelerou.

No caso específico da indústria paulista, Isabela destacou que o crescimento da produção se espalhou entre os setores no primeiro semestre, já que 17 dos 20 ramos pesquisados cresceram na região no período. A produção do setor em São Paulo apresentou em junho, mais uma vez, resultados positivos e acima da média nacional: 8% ante junho de 2004; 6,3% no acumulado no ano e 9,5% no acumulado nos últimos 12 meses. Para essa pesquisa não há dados comparativos com o mês anterior.

Em relação a junho de 2004, o bom desempenho da indústria paulista, que responde por 40% da produção nacional, resultou das contribuições positivas de 13 dos 20 segmentos pesquisados. No primeiro semestre do ano a produção da indústria paulista cresceu 6,3% ante igual período do ano passado.