A variação de 1,22% do Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) em 2005, a menor da história do índice, deve melhorar a situação fiscal de Estados e municípios. Isso porque o IGP-DI é indexador da dívida com a União. "O IGP-DI baixo certamente vai dar uma folga para os Estados e os municípios. Até para investir se quiserem", disse à Agência Estado o coordenador de Análises Econômicas do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros.

Para a economista do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Mônica Mora, o patamar baixo do indexador deve reduzir o nível das dívidas de estados e municípios em relação às suas respectivas receitas.