A Igreja Batista do 7.º Dia do Brasil, de Bocaíuva do Sul, esclareceu que Aparecido de Souza, 72 anos, acusado de ter abusado sexualmente de uma menina na última sexta-feira, não é mais pastor daquela congregação. Ele teria saído dessa função em setembro de 2000.