Resíduos oriundos de 13 países foram encontrados nas praias da Ilha do Mel.

Grande parte do lixo acumulado na área de reserva ecológica da Ilha do Mel, no litoral do Paraná, principalmente no Canal da Galheta, é proveniente de outros países – o chamado lixo internacional. A constatação foi feita pela coordenadora do projeto Que lixo é esse!? e formanda no curso de Biologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Andressa Rutz Debiazio.

Ela explica que o projeto pretende mostrar a origem do lixo em dois pontos: na Ilha do Mel, onde não vivem muitas pessoas, e na região de Pontal do Paraná, com grande densidade populacional. Há menos de um mês, Andressa e uma equipe de 50 pessoas foram até a ilha e percorreram cerca de cinco quilômetros. Nesse trecho, acharam muitas embalagens com rótulos em outras línguas. "Nós achamos lixo de 13 países", afirma a coordenadora. Estima-se que foram recolhidos 700 quilos de resíduos.

De acordo com ela, aproximadamente 60% do lixo coletado é plástico, especialmente garrafas de água. Mas também foram identificados potes de margarina, garrafas de refrigerante, cerveja e sucos, embalagens de produtos tóxicos, óleo e derivados de petróleo, embalagens de inseticidas e desodorantes, entre outros. A borracha aparece em segundo lugar, com 20% do total de resíduos coletados, como pares de calçados (chinelos, tênis e sapatos) e pneus. Metais (latas de produtos químicos e de queijos), vidros (garrafas para usos diversos), papéis e outros tipos de materiais corresponderam a 5% cada um.

Andressa acredita que o lixo pára na ilha devido à irresponsabilidade dos tripulantes dos navios que atracam no Porto de Paranaguá. "É pouco provável que alguma garrafa tenha parado lá somente pelas correntes marítimas. Encontramos lixo de diferentes datas, inclusive garrafas com validade de menos de dois meses atrás, o que caracteriza ser lixo jogado por ali", comenta. Segundo a coordenadora, os navios precisam pagar uma taxa sobre o lixo deixado no porto, cujo valor é considerado muito alto. "Eu tentei saber qual era o preço, mas não consegui. Pelo que fiquei sabendo é muito cara, o que estimula os navios a jogar no mar, próximo à costa, antes de atracarem", esclarece.

O local de maior incidência de lixo na Ilha do Mel é a face para o Canal da Galheta, passagem obrigatória para o porto. Alguns resíduos ainda foram localizados, mas em quantidade mínima, na área perto do forte e no ponto de embarque em Pontal do Sul. O trabalho neste momento está sendo realizado nas praias de Pontal do Paraná. As primeiras coletas mostraram que a maioria do lixo detectado vem das comunidades da região.

Expansão

Os resultados do projeto têm sido tão bons que a partir de julho de 2005 as atividades serão expandidas para outras ilhas da baía. Também está previsto o lançamento de garrafas identificadas em vários pontos do litoral para observar as correntes próximas à costa. "Dentro vamos colocar uma identificação e deixar um número de telefone para que a pessoa que encontrar a garrafa nos comunique", conta Andressa.

***

Serviço: Outras informações sobre o projeto Que Lixo é Esse!? no e-mail

lixolitoral@yahoo.com.br.