No Feirão, os imóveis econômicos vão representar quase metade dos 19 mil imóveis disponíveis para a venda. No primeiro trimestre deste ano, os imóveis residenciais verticais enquadrados no programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, corresponderam a cerca de 30% do total de unidades novas da cidade, totalizando 768 apartamentos, dentre os quais 36% ainda estão disponíveis no mercado. Segundo a Ademi, o Novo Mundo lidera em número de unidades novas, correspondendo a 43% dos apartamentos no segmento, num total de 328 imóveis.

Em seguida, aparece o Pinheirinho, com 35% de representatividade e 272 unidades, e o Tatuquara, com participação de 22% e 168 unidades. Vale destacar que entre as unidades residenciais verticais lançadas nos primeiros três meses do ano, 82,3% delas foram de dois dormitórios, num total de 632 apartamentos. O saldo ficou com os imóveis novos com três dormitórios (136 unidades). Todos os empreendimentos lançados na cidade, com valor de até R$ 150 mil, contam com churrasqueira, playground e sala de ginástica. Ainda na área comum, podem ser encontrados salão de festas, quadra poliesportiva e piscina.

Classe social

“O conceito de condomínio-clube atende mais ao perfil da classe C que, em geral, vai usar mais essas áreas do que as classes mais abastadas que costumam viajar mais e são sócias de clubes. Para as classes A e B as construtoras têm dispensado atenção em oferecer menos opções nas áreas comuns, mas com excelência no padrão desses espaços”, explica o diretor-geral da Galvão Vendas, Gelson Carlos da Silva.