De acordo com a Caixa, 8,6 mil imóveis ofertados pelo Feirão serão vendidos na planta. Segundo o superintendente da Caixa, Hermínio Basso, essa modalidade de compra é garantia de economia. “É certa a vantagem no preço em relação ao imóvel pronto para morar, dá diferença entre 5% e 10%, podendo chegar até mais dependendo do imóvel”, aponta. Para o sócio-proprietário da Brain Consultoria, Fábio Tadeu Araújo, a compra na planta é vantajosa, sobretudo, para o planejamento financeiro mais saudável.

“Além de poupar pelo menos 5% do que se gastaria depois da obra, a pessoa tem a vantagem de ir pagando pelo imóvel antes de ocupá-lo, o que garante fôlego para as despesas decorrentes da mudança e, principalmente, dos gastos com móveis e eletrodomésticos”, orienta. Segundo Araújo, quem consegue quitar de 25% a 30% do imóvel antes de ocupá-lo está na faixa ideal do que os economistas recomendam para maior tranquilidade financeira.

“Vale uma ressalva, mesmo que o ideal não seja possível, entre financiar o imóvel e alugar, busque pagar por algo que será seu um dia”, alerta. Para Araújo, a única situação plausível para seguir sem casa própria é se a pessoa tiver aplicação cujo rendimento seja maior do que o valor o gasto com aluguel. “Mas isso só ocorre quando se tem uma a 100% do valor de um imóvel”, avalia.