A inserção da disciplina de Formação da Cidadania Plena nos currículos das universidades do Paraná foi discutida na manhã dessa sexta-feira, na Secretaria da Justiça e da Cidadania.

Cerca de 80% dos representantes dessas instituições de ensino, estiveram presentes no debate sobre a forma de aplicação da disciplina, cujo enfoque é na prevenção ao uso indevido de drogas lícitas e lícitas, conforme decreto estadual 4.588 de 5 de abril de 2005, assinado pelo governador Roberto Requião.

A comissão especial que criou o projeto, formada por membros das secretarias da Justiça, da Educação, da Saúde e de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, realizará um fórum com representantes dos cursos universitários em setembro, para definir as diretrizes da matéria.

Entretanto, no fim desse mês, a comissão especial apresentará uma aula experimental na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Na segunda quinzena de agosto, a Coordenadoria Estadual Antidrogas (Cead), da Secretaria da Justiça e da Cidadania, começará a distribuir o material de apoio em algumas escolas estaduais. ?Esse é um marco histórico?, salientou o secretário da pasta, Aldo Parzianello.

?Como a tramitação de proposta semelhante está lenta em vários Estados brasileiros, o Paraná tem condições de ser pioneiro na inserção da disciplina de Formação de Cidadania Plena, permitindo que crianças, adolescentes, jovens e professores, tenham acesso a informações sobre drogas e tornem-se multiplicadores na prevenção?, detalhou Parzianello.

Sugestões

A motivação dos diretores para que a disciplina seja inserida nos currículos foi relatada na reunião, por meio de ações antidrogas já existentes nos estabelecimentos de ensino. O diretor da Faculdade Estadual de Educação Física de Jacarezinho, Rinaldo Bernardelli Júnior, revelou que é proibida a venda de bebidas alcóolicas em festas da instituição. ?Produzimos um manifesto aderindo ao fim da publicidade de bebidas alcóolicas, a exemplo do que foi realizado como o cigarro?, disse.

De acordo com o diretor, também foi sugerido aumento do preço ou da taxação dessas substâncias, cujos recursos seriam destinados ao tratamento dos dependentes; à aplicação do Estatuto da Criança e do Adolescente.

 ?Pedimos severas punições à venda do produto a menores e controle rigoroso dos motoristas que dirigem alcoolizados?, concluiu o diretor. A comunidade universitária dessa instituição está recolhendo assinaturas para que a propaganda do álcool seja proibida por lei. Mais informações a respeito podem ser obtidas pelo site www.propagandasembebida.org.br

Na UEPG, um grupo docente está formulando estudos sobre a aplicação da Formação de Cidadania Plena no currículo, com professores de diversos setores. Todas essas experiências serão condensadas no modelo da matéria nos currículos das instituições de ensino.

A coordenadora da Cead, Cleuza Canan, esclareceu que as secretarias da Justiça e da Cidadania e da Saúde darão suporte técnico ao projeto, enquanto as da Educação e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior farão a implantação. ?Essa é mais uma das ações integrantes das políticas públicas na prevenção às drogas desenvolvidas pela Secretaria da Justiça e da Cidadania, mobilizando a sociedade para reduzir o acesso das crianças e jovens a substâncias químicas nocivas?, explicou Cleuza.