Jewel Samad/AFP

“Obrigado, Deus do Futebol”, celebrou nesta segunda-feira uma manchete do jornal alemão Bild, que destaca a vitória de sua seleção sobre a Inglaterra por 4-1 pelas oitavas de final da Copa do Mundo como uma vingança pelo gol ‘fantasma’ da edição de 1966.

“Depois de 44 anos, o gol de Wembley está compensado. Agora, os ingleses sabem como nos sentíamos”, indicou o Bild, referindo-se ao gol ‘fantasma’ marcado pela Inglaterra na Copa de 1966 e ao gol de Frank Lampard não validado no jogo de domingo.

Os jornais se focaram no gol claro não marcado em favor da Inglaterra. O chute de Lampard acertou o travessão antes de cair dentro do gol alemão, sem que os árbitros percebessem. As referências a 1966 foram constantes.

Naquela ocasião, uma bola chutada por Geoff Hurst acertou o travessão e quicou na linha. O lance foi validado como gol e desencadeou a consternação dos alemães. “Desculpem-nos”, indicou o Die Welt em seu suplemento em inglês. “Agora estamos empatados”, concluiu.

“Obrigado ‘Fussball-Gott'” (Deus do Futebol), indicou o Bild, em uma página com grandes fotos dos incidentes de 1966 e de 2010.

“Isso!”, exclamou por sua vez o Berliner Kurier. “Esta é a vingança de Wembley”, destacou, lembrando o cenário da partida disputada em 1966.

Já o Die Welt intitulou “Simplesmente maravilhoso”.

O Neues Deutschland foi um pouco mais neutro em sua matéria sobre a partida. “A Alemanha passa para as quartas de final contra a Argentina com bom futebol e um pouco de sorte”, considerou.

Mas o Bild também deu uma chance à trégua com os ingleses, 44 anos depois do polêmico gol de Geoff Hurst. “Admitimos sem dúvida que foi definitivamente um gol. Foram roubados. Mas, por favor, admitam agora também que o gol de Wembley NÃO foi gol”, indicou.

“Querida Inglaterra, enterremos a machado de guerra e olhemos para o futuro para novos grandes duelos entre nossas duas equipes”, acrescentou.