Foto por: Dominique Faget

A imprensa espanhola estava extasiada neste domingo à noite e caprichava nos superlativos, após a vitória “histórica” da Espanha contra a Holanda (1-0) na final da Copa do Mundo.

“Iniesta nos eleva ao céu!” disse o jornal esportivo Marca, destacando o golaço do meio-campo espanhol que aliviou todo o país ao garantir a vitória no fim da prorrogação.

“Sofremos, mas valeu a pena”, acrescentou o jornal de Madri que, ao lado de outros meios de comunicação, qualificou a vitória de “agônica” ante uma seleção holandesa gerreira e agressiva.

A Espanha “mereceu sua vitória contra uma Holanda que não deixou de dar pancadas (nos jogadores espanhóis) durante toda a partida”, afirmou o jornal esportivo As.

Esta Copa “coroou uma das melhores equipes de todos os tempos”, afirmou o El Mundo, apelando, como outros meios de comunicação, ao superlativo e colocando como manchete em seu site “Espanha, Espanha, Espanha”.

No dia 11 de julho, “dia histórico para o esporte espanhol, quando o sonho se tornou realidade”, escreveu o jornal El Pais, que intitulou “Espanha na lua” em sua edição digital, para saudar o primeiro título de campeão do mundo conquistado pela “Fúria”, dois anos depois de levar a Eurocopa.

Com um “Iniestazo e campeões”, o Mundo Deportivo de Barcelona saudou o título da Espanha, enquanto o jornal de Barcelona La Vanguardia afirmou que a “Espanha mecânica conquista o mundo”, em clara referência ao apelido de “Laranja Mecânioca” da seleção holandesa.

“Iniestazo II e reis do mundo”, foi a manchete do Sport, que lembrou o gol salvador de Andrés Iniesta para o Barcelona na conquista da Liga dos Campeões do ano passado.

“Iniesta vale um mundial”, escreveu o Periódico de Catalunya, que destacou que cerca de 75 mil pessoas se juntaram em frente a um telão na Praça de Espanha, em Barcelona, para assistir à vitória de sua seleção.