Os setores de alimentos e bebidas (6,6%), máquinas e equipamentos (16,0%) e meios de transporte (16,5%) foram os que mais contrataram em dezembro do ano passado. De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário, divulgada nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o crescimento de 4,4% no índice mensal foi resultado do aumento no nível de emprego em 13 das 14 áreas e em 13 dos 18 segmentos investigados.

Nas regiões Norte e Centro-Oeste o número de pessoas contratadas cresceu 8%. São Paulo foi o local que exerceu a contribuição mais significativa para o total do país, registrando um aumento de 4,6% no nível de emprego. O estado detém cerca de 38% do emprego industrial, sendo que 12 setores contrataram mais do que demitiram, com destaques para os segmentos de máquinas e equipamentos (26,1%) e meios de transporte (16,6%). De acordo com a pesquisa, o Rio de Janeiro ficou com a menor taxa positiva (1,4%).

No acumulado de 2004, o emprego na indústria cresceu de 1,9%. Na comparação entre dezembro de 2004 e dezembro de 2003, o nível de emprego no setor apresentou queda apenas no Rio Grande do Sul (-0,9%), em função das demissões em oito ramos industriais, em especial, calçados e couro (-12,4%). No total do país, as demissões superaram as contratações em cinco ramos, sendo que os principais impactos negativos foram de produtos de metal (-4,1%) e calçados e couro (-3,7%).