Índios caingangues, guaranis e xetás, de nove reservas do Paraná, invadiram a sede regional da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Guarapuava (oeste do estado), exigindo a visita à cidade do presidente do órgão, Eduardo Aguiar Almeida. O protesto, que começou no início da semana, culminou hoje, com a expulsão do administrador Francisco Eugênio do local.

A Funai avisou as lideranças indígenas que uma comissão seria deslocada de Brasília para negociar uma solução. O caingangue Valdir José Kokoj, presidente do Conselho Indígena Regional de Guarapuava, disse que a comunidade indígena não deixará a sede té que o governo federal “dê uma solução para a crise de falta de recursos”.

Em nove reservas indígenas no oeste e no sudoeste do Paraná vivem mais de 12 mil caingangues, guaranis e remanescentes do povo xetá, exterminado no início da década de 70, no noroeste do Paraná.