Rio ? O nível de emprego na indústria brasileira registrou queda de 0,6% em novembro de 2005 na comparação com outubro, quando houve redução de 0,2%. Em relação a novembro de 2004, o indicador registra queda de 0,9%. No acumulado do ano, de janeiro a novembro, houve aumento de 1,2% no nível de emprego. Os dados são da pesquisa de emprego na indústria, divulgada hoje (17) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na avaliação da coordenadora de pesquisa, Fernanda Vilhena, o resultado de novembro caracteriza uma certa estabilidade no nível de emprego, quando se observa o crescimento de 1,3% na variação do número de horas pagas no mesmo mês. "Juntando os resultados do pessoal ocupado e do número de horas pagas, o cenário que temos é de certa estabilidade", disse.

Entre os setores que mais reduziram o ritmo de abertura das postos de trabalho em novembro de 2005 estão o de calçados e artigos de couro (com queda de 12,8%) e de madeira (com redução de 16%). O setor de alimentos e bebidas foi o responsável pela maior alta, ao ampliar em 5,4% a contratação de pessoas.

O Rio Grande do Sul registrou a maior redução no nível de emprego em novembro, com uma taxa negativa de 8,5%. Minas Gerais foi responsável pelo aumento de 3,1% no número de postos de trabalho. No acumulado de janeiro a outubro, São Paulo é o estado que registra a melhor taxa de expansão no nível de emprego (2,5%), com destaque para os setores de alimentos e bebidas e meios de transportes.