A menor pressão dos preços dos alimentos e do vestuário levou a inflação medida pelo Índice Geral de Preços 10 (IGP-10) a fechar o mês de fevereiro com alta de 0,31%. O resultado que chega a ser 0,11 ponto percentual inferior aos 0,42% da taxa de janeiro.

Segundo a Fundação Getulio Vargas, responsável pela pesquisa, a queda foi conseqüência da retração de preços tanto no atacado quanto na construção civil e no varejo. Com o resultado, o IGP-10 passou a acumular elevação de 11,53% nos doze meses completados em fevereiro.

O Índice de Preços no Atacado (IPA), que tem peso de 60% na composição do IGP-10, caiu de 0,27% em janeiro para 0,17% em fevereiro; enquanto o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), que representa 10% da composição, passou de 0,70% em janeiro para 0,47% neste mês. Os preços no varejo, medidos pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC), com peso de 30% na formação do IGP-10, passaram de 0,74% para 0,66% no período.

A queda dos preços de vários alimentos no atacado e no varejo e as menores altas de transporte e vestuário mantiveram a alta abaixo da expectativa dos analistas, que apostavam em um aumento próximo de 0,35%.