A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 0,19% em julho, ante deflação de 0,21% em junho, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou dentro das estimativas dos analistas ouvidos pela Agência Estado, que iam de 0,10% a 0,25%.

O aumento na taxa de um mês para o outro foi puxado por transportes (0,37%), alimentos (0,09%) e empregados domésticos (1,18%). No acumulado do ano, o IPCA registra alta de 1,73% e, em 12 meses, elevação de 3,97%.

O índice de julho é a primeiro calculado pelo IBGE com a nova estrutura de pesos, que incorpora os resultados da Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) 2002-2003. Com a nova base, alguns grupos ganham maior peso, como telecomunicações, e outros perdem como álcool combustível e aluguel.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação para a camada de renda mais baixa de renda da população ficou em 0,11% em julho, ante deflação de 0,07% em junho. No ano, acumula alta de 1,18% e, em 12 meses, de 2,87%.