Rio, 28 (AE) – Os reajustes nos preços da gasolina e dos alimentos elevaram o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) para 0,83% na semana referente a 22 de junho, ante 0,77% na semana anterior. Segundo divulgou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV), a taxa reverteu a tendência de desaceleração das últimas semanas. A variação ficou no topo das estimativas dos analistas de mercado (0,70% a 0,83%).

Os grupos que apresentaram aceleração nas taxas na semana – alimentação; educação, leitura e recreação e transportes – representam 48% das despesas familiares e foram responsáveis, juntos, por 68% do resultado geral. O grupo alimentação subiu de 1,44% na semana anterior para 1,48%, pressionado especialmente pelo tomate (26,11%) e a cebola (36,96%), que continuam em aceleração.

No caso do grupo de educação, leitura e recreação (-0,02% na semana anterior para 0,14%), a maior pressão foi dada pelas passagens aéreas, que subiram 4,38%. O aumento da gasolina (2 16% na semana de referência, ante 0,26%) definiu a aceleração do grupo transportes (0,59% para 1,17%) . A gasolina foi responsável, sozinha, por 0,07 ponto porcentual do IPC-S total de 0,83% da semana. O álcool combustível também segue em trajetória de alta (9,42%).

Nos demais grupos, os resultados foram os seguintes: habitação (0,59% na semana anterior para 0,35% na semana de referência); vestuário (1,27% para 1,26%); saúde e cuidados pessoais (0,89% para 0,78%) e despesas diversas (0,24% para 0 16%).