Os estudantes podem aproveitar o final de semana para se inscrever no Programa Universidade para Todos (ProUni), do Ministério da Educação, e concorrer a bolsas integrais ou parciais de 50% do valor do seu curso universitário. Para isso, é preciso acessar a página eletrônica do ProUni (), onde está a ficha de inscrição, e conferir as informações sobre quem pode participar, além dos detalhes do programa. As inscrições podem ser feitas, apenas pela Internet, até sexta-feira, 17.

Quem não tem acesso à Internet pode utilizar, durante o horário normal de funcionamento, a infra-estrutura dos 34 Centros Federais de EducaçãoTecnológica (Cefets), das 40 Unidades Descentralizadas de Ensino dos Cefets (Uneds) e das 36 Escolas Agrotécnicas Federais. As escolas pertencem ao MEC e estão orientadas a abrir suas portas para estudantes
que queiram se inscrever no ProUni.

As instituições privadas que aderiram ao programa devem,obrigatoriamente, colocar equipamentos à disposição das pessoas que desejam se inscrever, durante o expediente normal.
Na avaliação do ministro Tarso Genro, o ProUni é o maior e mais barato projeto de bolsas de ensino superior da história do Brasil. Ele oferece118.078 vagas em 1.142 instituições filantrópicas e privadas de todos os estados e do Distrito Federal.

Do conjunto de vagas do Prouni, 76.037 são bolsas integrais e 42.041são bolsas parciais de 50% do valor do curso. Sem preencher os campos do formulário, a inscrição não se completa e, quando é completada, o estudante recebe um comprovante, que pode ser impresso.

Para concorrer às bolsas, o aluno precisa ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2004 e comprovar renda familiar mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa da família (R$ 390), para a bolsa integral, e de até três salários mínimos (R$ 780) para a
parcial. E precisa atender a um destes critérios: ter cursado o ensino médio em escola pública; ter cursado o ensino médio em instituição privada como bolsista; ser portador de necessidade especial; atuar comoprofessor da rede pública de educação básica e integrar o quadro
permanente da instituição.

O ProUni tem política de cotas para alunos que se declararema afrodescendentes ou indígenas. Para o grupo, o MEC destinou 46.866 vagas, que serão distribuídas de acordo com a população nos estados, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O custo de um aluno do ProUni é de R$ 138 por mês, segundo o ministro da Educação, Tarso Genro.

"É o preço de uma disciplina numa escola privada, ou 25% do custo de um aluno com o Financiamento Estudantil (Fies)", disse o ministro, em audiência pública na Câmara dos Deputados,esta semana. Segundo ele, a renúncia fiscal do ProUni está estimada em R$ 193 milhões e não R$ 2,5 bilhões, como chegou a ser divulgado pela mídia.