Brasília – O secretário-executivo do Ministério da Previdência Social (MPS), Floriano Martins de Sá Neto, anunciou hoje que o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) chamará 1,3 mil concursados aprovados para os cargos de analista e técnico, no concurso público realizado em 2003. O ministro da Previdência, Amir Lando obteve a autorização do Ministério do Planejamento para que sejam preenchidas todas as vagas restantes, liberadas para o concurso, com o objetivo de ampliar o atendimento nas agências da Previdência Social em todo o país.

A autorização do Ministério do Planejamento será publicada amanhã (24) no Diário Oficial da União (DOU). Esta será a última chamada do concurso de 2003, que já empregou 4,4 mil aprovados.

Floriano Neto afirma que todos os novos servidores do INSS trabalharão diretamente no atendimento aos beneficiários. ?As novas vagas ampliarão o atendimento, com novos postos nas agências onde há maior demanda represada?, acrescenta o secretário. Ele explica que o total de candidatos aprovados e chamados para as vagas vai melhorar o fluxo de atendimento aos beneficiários.

O secretário-executivo anunciou, também, que será necessário realizar outro concurso para os cargos de analista e técnico do INSS, ainda neste ano. ?Queremos realizar outro concurso para o preenchimento de mais cinco mil vagas, que atenderia o que chamamos de lotação ideal?, explica.

A diretora de Recursos Humanos do INSS, Lúcia Carvalho, diz que a demanda acumulada, após 18 anos sem concursos públicos para os cargos do Instituto, é motivo de preocupação do ministro Lando e da direção do INSS. ?Queremos colocar todo o pessoal chamado para trabalhar lá na ponta, na concessão de benefícios e atendimento direto às pessoas?, afirma. Ela descarta a possibilidade de os concursados trabalharem ?na burocracia?.

Lúcia conta que o INSS ainda estudará quais regiões e agências receberão os 1,3 mil novos servidores, que serão chamados tanto por publicação no DOU quanto por telegramas que serão enviados às residências. ?Os concursados irão para as mais carentes das 1,2 mil agências existentes, onde há a necessidade de mais dois, três, ou quatro servidores?, explica. A diretora lembra que a realização de outro concurso deverá ocorrer até julho – três meses antes das eleições municipais.

As informações são do Ministério da Previdência Social.