Agência do INSS em Curitiba.

Cerca de 4,9 mil pessoas estão deixando de ser atendidas, por dia, nas agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) do Paraná desde a deflagração da greve dos servidores públicos federais contra o projeto da reforma da Previdência, no dia 8 de julho.

Das 50 agências do Estado, quinze estão com as portas fechadas, segundo a superintendência do Instituto. Em Curitiba, as cinco agências – João Negrão, Cândido Lopes, Visconde de Guarapuava, XV de Novembro e Hauer – estão fechadas e deixando de atender cerca de 2,5 mil pessoas por dia.

Também não estão atendendo as agências de Araucária, São José dos Pinhais, Campo Largo, Cascavel, Foz do Iguaçu, Guarapuava, União da Vitória, Ponta Grossa, Londrina (Centro e Xangri-la), Rolândia, Maringá, Arapongas e Cornélio. Não há previsão de quando os servidores voltarão a trabalhar.

Com a greve dos servidores, os benefícios estão deixando de ser concedidos, com exceção do salário-maternidade e pensão por falecimento – no caso de o beneficiado já ser aposentado -, cujos pedidos podem ser feitos via internet. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)