Enquanto aguarda uma decisão quanto ao acerto de contas do Estado de Minas Gerais com a União  o governador Itamar Franco (sem partido) disse que para continuar paciente e manter o “estado de ânimo” está recorrendo à “energia cósmica” e aos “espíritos” que povoam o Palácio da Liberdade. 

“São espíritos que trazem uma energia muito positiva e, de um modo geral, eles contribuem para o estado de ânimo de nós governadores, particularmente na defesa dos interesses mineiros. Eu acho que há uma energia cósmica muito importante, presente em alguns gabinetes, em alguns lugares”, afirmou o governador, ao participar ontem à noite da solenidade de posse da nova diretoria da Associação Comercial de Minas.

“A gente percebe que o tempo todo eles (espíritos) repetem que é necessário ter uma dose imensa de paciência”, disse o governador, ao ser questionado por uma repórter se acreditava em fantasma.

O governador garantiu que a sede do governo mineiro – uma construção neoclássica, erguida no final do século XIX – é palco de atos sobrenaturais. “O Palácio é realmente povoado.” Disse, porém, que nunca viu, mas que é possível sentir tais energias.

Ao comentar sobre o que mais o assusta, se os fantasmas que estariam perambulando pelos imponentes salões do Palácio ou a burocracia do governo federal na liberação dos recursos pleiteados pelo Estado, Itamar não titubeou: “É claro que é a burocracia”.

O governo mineiro aguarda a edição de uma medida provisória que libere recursos para o pagamento do 13.º salário dos servidores públicos. O Estado reivindica um repasse de R$ 1,2 bilhão e necessita de pelo menos R$ 550 milhões para honrar o compromisso com o funcionalismo.