O ex-presidente da República, Itamar Franco, anunciou hoje o seu apoio à campanha de Geraldo Alckmin para a Presidência da República. Em entrevista concedida em seu apartamento na zona sul de Belo Horizonte, Itamar justificou sua escolha, explicando que ela foi motivada por planos políticos futuros para 2010, que incluiria o Projeto Aécio, em que o atual governador mineiro seria candidato à Presidência da República. "Decidi este apoio" não só diante das qualidades do nosso candidato, mas dentro do esquema que vai mais a frente. "Minas precisa estar alerta nesta eleição", disse.

Itamar não poupou críticas ao presidente Lula, e foi um dos motivos que teriam levado ao apoio a Alckmin. Segundo ele, de uns tempos para cá, o governo Lula " virou um feixe de palha que qualquer vento leva" e foi mais além, afirmando que "o próprio presidente é quem prejudica o PT, por sua postura não ética". Disse mais: "Ele que era antigamente um militante, hoje é um homem arrogante".

Ele explicou que foi o primeiro governador não petista a apoiar a candidatura de Lula à presidência, desde o início do governo dele em Minas Gerais e o fez isto acreditando nos seus princípios. Disse ainda que "não é possível que ele não soubesse o que partidários deles faziam, é difícil que o presidente não saiba. O governo dele perdeu a ética, é isto que Minas Gerais precisa entender".

Em seguida o candidato tucano à presidência Geraldo Alckmin agradeceu o apoio, enaltecendo as qualidades de Itamar Franco. Alckmin disse que o ex-presidente é uma referência ética na política brasileira e fez um governo impecável. "Em política é time, é equipe", e citou o ditado popular: "Diga com quem andas e lhe direi quem és".

Geraldo Alckmin anunciou que um dos partidários de Itamar Franco Henrique Hargreaves, será o coordenador da campanha dele em Minas Gerais. Alckmin se esquivou de responder a pergunta de que seu apoio fora dado em troca do final da regra da reeleição, ai ele se esquivou, falando: "Cada coisa vem ao seu tempo. O meu primeiro compromisso é fazer um bom governo em quatro anos" .Alckmin também disse que não foi definido como será sua participação na campanha, mas que será bem vindo pela sua experiência.

Ao comentar o casos dos sanguessugas, hoje com uma CPI no Congresso, e com o número de prefeitos do PSDB acusados de participarem do esquema, Alckmin afirmou que é preciso investigar. "Deputado é filial. A matriz é o governo federal, porque o dinheiro sai do Ministério da Saúde".

Alckmin chegou ao apartamento de Itamar acompanhado pelo governador Aécio Neves, e o candidato ao Senado pelo PFL-MG, Eliseu Resende. O encontro demorou 1 hora.