O presidente do Conselho de Ética da Câmara, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), afirmou há pouco que amanhã, na reunião da bancada petebista, irá defender que não sejam retiradas as representações contra os deputados José Dirceu (PT-SP) e Sandro Mabel (PL-GO) feitas ao Conselho. "Se isso acontecer, realmente atrasa todo o processo. Já ouvi todas as testemunhas do José Dirceu e esta semana ouvirei as três últimas do Sandro Mabel. Praticamente, no começo de outubro, terminaríamos todo o processo", informou. Segundo ele, caso a proposta do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) seja aceita pelo partido, ficará aberta a porta para que os deputados acusados sigam o caminho da renúncia de seus mandatos. "Todo o trabalho feito precisaria ser realizado novamente, pois passaria a contar um novo prazo", disse, argumentando, entretanto, que o relatório da CPI dos Correios, que também possuem os nomes de Mabel e Dirceu, deve ser entregue ainda esta semana. "A Corregedoria tem um prazo de cinco sessões para entregar (a lista da CPI). Se não entregarem, eu vou cobrar", complementou.

Apesar de ser integrante do PTB, Izar disse não saber qual é a decisão provável da bancada do partido com relação à proposta de Jefferson. "Na condição de presidente do Conselho de Ética, eu me afastei do dia a dia da bancada e do partido. Vou argumentar que não valeria a pena retirar (as representações) porque, senão, nós vamos perder muito tempo e, com isso, vamos demorar a dar uma resposta para a sociedade brasileira", comentou.