Rio – O presidente do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, Ricardo Izar (PTB-SP), e o relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios, Osmar Serraglio (PMDB-PR), discutem, segunda-feira (9), uma forma de trabalho conjunto que impeça possíveis acordos para livrar, em plenário, parlamentares da cassação.

A informação foi dada hoje por Izar, durante entrevista ao programa Notícias da Manhã, da Rádio Nacional. "Depois do episódio de Romeu Queiroz, onde o Conselho de Ética sugeriu a cassação, e no plenário ele foi absolvido, nós começamos a nos organizar", afirmou o deputado.

Izar disse que teve a idéia de fazer um encontro com o relator depois de ouvir as declarações dele de que haveria a possibilidade de uma grande acordo para livrar parlamentares da cassação. "Eu não sei se existe ‘acordão’, mas vamos evitar essa possibilidade. Nós do Conselho de Ética já nos reunimos anteontem (3) e ontem (4) e estamos nos preparando para os próximos processos", explicou.

Segundo o deputado, a intenção dos integrantes do Conselho de Ética é que, nos casos em que for sugerida a cassação, cada membro faça um trabalho na sua bancada.

"O Conselho de Ética é composto de deputados de diversos partidos, e nós vamos fazer reuniões com as bancadas, explicar, mostrar as provas e como foi o processo, porque, afinal de contas, nós do Conselho é que ficamos três ou quatro meses trabalhando em cima daquele processo". Ele afirmou que esse acordo, se existir, será evitado. "Vamos trabalhar em conjunto, inclusive com a CPMI dos Correios", concluiu.