O ex-presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha (PT-SP) disse em depoimento no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara que sacou R$ 50mil das contas de Marcos Valério Soares, a mando do então tesoureiro do partido, Delúbio Soares. "Recurso se busca no tesoureiro do partido e foi o que eu fiz".

João Paulo Cunha informou que o dinheiro foi usado para pagar pesquisa de opinião do partido em Osasco (SP) e pediu para que sua mulher não seja responsabilizada pelo saque. "Pedi a ela para ir ao Banco Rural".

O deputado se defendeu da acusação de participar do suposto esquema de pagamento de mesadas a parlamentares, dizendo que não poderia ter recebido dinheiro para votar a favor do governo porque na época era presidente da Câmara e não participava das votações. Ele acrescentou que não recebeu dinheiro para mudar de partido, porque não fez isso; nem fez caixa 2, porque não foi candidato nas últimas eleições. "Só faz caixa 2 quem faz caixa 1 e eu não fui nem candidato".

João Paulo afirmou que não vai chamar testemunhas para o seu processo. "Os outros 512 deputados são testemunhas do meu caráter". Ele disse também que espera que seu processo termine rápido. "Peço com humildade a minha absolvição". O depoimento do deputado no Conselho de Ética começou por volta de 11h.