O presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha, confirmou para às 8h de amanhã, o início da sessão extraordinária da Casa destinada à votação da Medida Provisória do Salário Mínimo. Segundo o deputado, havendo quórum o início da votação deverá ocorrer entre 11h e 12h.

João Paulo informou que pediu aos líderes para mobilizarem suas bancadas para permanecerem em Brasília para a votação da MP.

A votação será pelo processo nominal, segundo informou João Paulo. ?Quem tem posição não tem problema nenhum em deixar clara essa posição?, afirmou. O governo quer reafirmar o salário mínimo já aprovado pela Câmara de R$ 260 e derrubar a proposta aprovada no Senado de R$ 275.

O líder do Governo na Câmara, deputado Professor Luizinho (PT-SP), também não vê problema na votação nominal. ?É um instrumento normal, traquilo, não nos assusta?, disse. Segundo ele, “a votação nominal nos dá mais tranquilidade e havendo quórum vamos manter os R$ 260?.

O líder governista garantiu que tendo mais de 300 parlamentares na casa será possível votar amanhã o salário mínimo. Mas caso a Câmara não consiga votar amanhã a MP, a votação ficará para a próxima semana. E até que ela seja votada nenhuma outra matéria poderá ser apreciada, já que está trancando a pauta da Casa.

Para iniciar a votação da MP são necessários no mínimo a presença em plenário de 257 deputados. A sua aprovação se dá por maioria simples dos presentes.