O jornal britânico Financial Times descartou, em seu editorial publicado hoje, a tese defendida por alguns observadores dos Estados Unidos de que haveria uma “conspiração esquerdista” na sucessão de crises políticas e econômicas sofridas pela América Latina.

“Os fios que associam a provável vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na eleição no Brasil este mês a Fidel Castro, de Cuba, ou ao bolivarianismo revolucionário do presidente Hugo Chávez, na Venezuela, são tênues”, destaca o texto.

O editorial do Financial Times prossegue: “Em resposta ao que um comentarista de Washignton apelidou de ‘eixo de sublevação’, os Estados Unidos e seus aliados regionais devem fugir da tentação de recorrer a táticas de confronto da Guerra Fria”.

Especificamente sobre a situação de Chávez e de seu país  o jornal avalia que os Estados Unidos, “que atuaram de forma desastrosa por ocasião da tentativa de golpe anterior (em abril)”, devem “permanecer firmes nos bastidores”.