O ministro da Casa Civil, José Dirceu, disse hoje que o governo não irá alterar o superávit fiscal para 2005 e 2006. Segundo ele, o superávit já está definido em 4,25% e não haverá qualquer mudança. O ministro reconheceu, entretanto, que o governo pode fazer um ?esforço? este ano, com um aumento do superávit, para evitar turbulências.

José Dirceu disse que ele e o ministro Antônio Palocci (Fazenda) já apresentaram ao presidente algumas iniciativas “para que o país não sofra turbulência”, mas destacou que cabe ao presidente Lula decidir. Ressaltou que até o momento “não há mudança no superávit fiscal para os próximos anos, não há essa decisão por parte do presidente da República?, afirmou.

O ministro informou que este ?esforço? não significa redução de investimentos. ?Esse ano nós já temos uma folga no superávit que garante todos os investimentos que foram programados. Não há nenhuma relação entre o superávit e corte ou ajuste nos investimento. Não se propõe nenhum corte de investimentos, o que está se propondo, se necessário, é que se faça um ajuste fiscal para além dos 4,25%?, comentou.