A eleição que reelegeu o presidente do Vasco, Eurico Miranda, em 13 de novembro de 2006, foi anulada nesta quinta-feira (8) pelo juiz da 15ª vara cível, da Comarca da Capital, Renato Ricardo Barbosa. Ainda consta da decisão a ordem para que um novo pleito seja realizado em 30 dias.

Apesar de ter tido sua eleição anulada à revelia, porque não mandou representantes para defendê-lo, Eurico Miranda terá 15 dias para recorrer da sentença, proferida em primeira instância. Caso recorra, o processo, movido por integrantes da chapa perdedora, "Por Amor ao Vasco", que tentou eleger o ex-jogador Roberto Dinamite, será analisado pela 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio.

Após examinar todo o processo, em sua sentença, o juiz da 15ª vara cível descreveu vários atos considerados irregulares, que teriam ocorridos durante o pleito. Presença de eleitores sem direito a voto, permissão da diretoria do clube para que sócios em situação irregular votassem, além da apresentação da lista de novos filiados somente no dia da eleição, contrariando o estatuto do clube, foram algumas irregularidades descritas por Renato Barbosa.