O juiz da 10ª Vara da Justiça Federal, Cloves Barbosa de Siqueira, decretou no final da noite de ontem a prisão preventiva dos empresários Lourenço Rommel Peixoto, Jaisler Jabour de Alvarenga e Laerte Corrêa Júnior, acusados de envolvimento na Máfia do Sangue. O esquema fraudava a compra de hemoderivados do Ministério da Saúde e teria causado aos cofres públicos um prejuízo de cerca de R$ 2 bilhões entre 1990 e 2002.

Lourenço Peixoto e Jaisler Jabour já estavam em prisão temporária, cujo prazo de dez dias se esgotou à meia noite desta terça-feira e permanecerão presos. Já Laerte Corrêa tinha sido libertado no último sábado (29), junto com outros dez integrantes do grupo, uma vez que o juiz Cloves havia negado a transformação da prisão temporária em preventiva. Laerte deverá voltar à carceragem da Polícia Federal em Brasília.