O juiz Jurandyr Reis Júnior, da 41.ª Vara Eleitoral de Londrina, determinou, em caráter liminar, a suspensão dos repasses do fundo partidário para o diretório local do PT. Reis Júnior acatou um pedido do Ministério Público Eleitoral (MPE), que invocou as Leis Eleitoral e dos Partidos Políticos e a Resolução 2.841 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O pedido, segundo o promotor Miguel Sogaiar, está baseado em "farta documentação", comprovando que a legenda não declarou recursos que financiaram a reeleição do prefeito Nedson Micheleti (PT).

A existência do caixa dois na campanha de Micheleti foi denunciada pela ex-assessora financeira da sigla Soraya Garcia, segundo a qual foram gastos R$ 6,5 milhões. A prestação de contas oficial da agremiação declara receita de R$ 1,1 milhão e despesa de R$ 1,3 milhão. A denúncia é investigada pela Polícia Federal (PF) e Ministério Público (MP).

O PT nega o uso do caixa dois e recorrerá da decisão do juiz. Micheleti disse, por meio da assessoria do partido, que a determinação da Justiça é "inócua", uma vez que são as contribuições recolhidas pelo diretório municipal da legenda que alimentam as finanças dos diretórios estadual e nacional. Segundo Sogaiar, a suspensão irá vigorar, caso seja mantida, quando o mérito do processo for julgado, até que a sigla regularize a prestação de contas com a Justiça Eleitoral.

O fundo é formado por recursos do governo federal, doação de particulares e multas impostas pela Justiça. As agremiações de oposição à administração federal pediram ao TSE que o Diretório Nacional do PT seja impedido de usar o fundo por causa das acusações do "mensalão".