O julgamento dos três acusados pela morte do garoto Evandro Ramos Caetano, em Guaratuba, no ano de 1992, num suposto ritual de magia negra, entrou há pouco na última etapa de depoimentos. Já foram ouvidos o delegado Luís Carlos Oliveira, dois peritos do Instituto Médico Legal (IML), Francisco Moraes e Artur Drieschel; e a advogada e presidente do Conselho da Condição Feminina, Isabel Klugel. Os últimos depoimentos serão de Celina e Beatriz Abagge, que também respondem pelo crime em outro processo

O julgamento começou na segunda-feira, com o depoimento de Osvaldo Marceneiro, Davi dos Santos e Vicente de Paula Ferreira, que são os réus do caso. Sábado o julgamento entra na sua última fase: o debate entre a acusação e a defesa. De acordo com o advogado de defesa, Álvaro Borges Júnior, é provável que a sentença seja dada no sábado.