O Conselho Regional de Medicina (CRM) absolveu o médico Artur Zanelatto. Ele era acusado de erro médico por uma paciente, que em 1999, fez uma cirurgia para retirar um cisto do ovário. Devido a complicações ela fez 14 operações, perdeu toda a parede do abdome e, hoje, apenas uma fina camada de pele recobre a parte atingida. A todo instante corre o risco de perfurar algum órgão ou sofrer hemorragias. O julgamento foi realizado na terça-feira.

Segundo o presidente do CRM, Luiz Sallim Emed, o conselho entendeu que não houve erro médico nos procedimentos e que Jaqueline do Rocio Rissato ?apenas foi vítima de uma série de complicações?. Emed fala que após a primeira cirurgia a paciente teve uma semi-oclusão (torção) instestinal, que pode ocorrer com qualquer pessoa. Ela foi reinternada e o problema evoluiu para uma oclusão, que exige intervenção cirúrgica. (Leia mais na edição de amanhã)