Belo Horizonte (AE) – Dizendo-se decepcionado com os rumos do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o deputado Júlio Delgado (PSB-MG) negou hoje que tenha sido indicado como relator do processo de cassação do deputado José Dirceu (PT-SP) para "salvar a pele" dele. Considerado um aliado fiel do governo, Delgado é ligado ao ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, e foi líder do PPS na Câmara dos Deputados.

"Fico absolutamente à vontade para poder relatar com isenção e independência esse processo. Até porque acreditava num projeto de governo para esse País, com resgate do desenvolvimento social e tantas coisas que foram propostas e nós ajudamos a derrotar em 2002", observou, em entrevista à Rádio Central Brasileira de Notícias (CBN), em Belo Horizonte.

Delgado disse que tem todo o interesse em tornar ágil o processo contra Dirceu e promete ser "contundente em relação àqueles que têm culpa". "Não fomos indicados para prejulgar alguém e muito menos para poder salvar a pele de outros."

Na entrevista, o deputado do PSB de Minas Gerais procurou deixar clara a frustração com os últimos acontecimentos envolvendo o PT e a gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Nós derrotamos uma proposta liberal e empreenderíamos um projeto desenvolvimentista social para o Brasil. Infelizmente, verificamos que foi um projeto de poder fortemente instalado e enraizado, principalmente, pelo exercício de um partido político exclusivo no governo federal."