O deputado Raul Jungmann (PPS-PE), um dos articuladores do pedido de cassação do mandato do presidente da Câmara, Severino Cavalcanti (PP-PE), afirmou que o afastamento dele do cargo é uma "etapa vencida" e que não altera em nada a estratégia da oposição de pedir a cassação.

Na avaliação de Jungmann, a saída de Severino para responder, fora do cargo, às denúncias de suposto envolvimento em irregularidades, significa, a esta altura, apenas um prolongamento da crise. O deputado do PPS de Pernambuco disse que "a atitude sensata é a renúncia (à presidência)porque não há mais condições de Severino presidir os trabalhos da Câmara".

"Não há a menor possibilidade de as oposições aceitarem Severino presidir sessões na Casa. Seria evoluir da paralisia para o caos", afirmou. Jungmann acrescentou que, se ele insistir em presidir as sessões, os partidos farão uma obstrução total dos trabalhos.