O deputado Raul Jungmann (PPS-PE) foi eleito há pouco, por aclamação, vice-presidente da CPMI das Sanguessugas. Ele agradeceu a escolha e destacou que o processo demonstrou a convergência e disposição de todos os parlamentares para o diálogo.
Em seguida, o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) entregou ao relator, senador Amir Lando (PMDB-RO), 12 CDs que reúnem o material da investigação conduzida pelo procurador-regional da República em Mato Grosso Mário Lúcio Avelar, que apura o caso desde 2004.

Gabeira sugeriu que a CPMI comece os trabalhos ouvindo órgãos que já investigam o esquema da "máfia das ambulâncias", como a Controladoria-Geral da União (CGU), a Corregedoria-Geral da Câmara e a Polícia Federal (PF).

Ele destacou ainda que o material é composto por quatro "anéis". O primeiro traz a apresentação das emendas parlamentares relacionadas ao esquema; o segundo, a execução das emendas pela Planam – empresa sul-matogrossense que vendia ambulâncias a prefeituras – e o relatório da CGU que atesta o superfaturamento; o terceiro traz as degravações das escutas telefônicas feitas pela PF; e o último traz o livro-caixa da Planam, com a relação de pagamento de propinas.