Os juros futuros seguem em queda forte, motivados pelo cenário internacional positivo e por algumas notícias locais que reforçam as boas perspectivas para a política monetária. Entre esses fatores, estão o resultado do Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) da semana encerrada no último dia 15, de 0,45%, abaixo das projeções, e o cenário benigno traçado pela pesquisa Focus, que mostrou recuo nas previsões de inflação juros, dólar, e elevação nas de atividade.

Profissionais também destacaram como um fator favorável à baixa taxas dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) a mudança de postura do Banco Central (BC), que informou na sexta-feira que não vai mais anunciar com antecedência a realização dos leilões de swap cambial reverso (equivalente a uma compra de dólares no mercado futuro).

Na opinião de especialistas, essa nova estratégia confirma que o BC está "incomodado" com a trajetória de queda do dólar, o que significaria "um argumento a mais" para a taxa Selic cair com mais força ou por um período mais prolongado. "Embora eu não acredite que o Copom (Comitê de Política Monetária) voltará a cortar o juro em 0,5 ponto porcentual este ano, tem gente no mercado apostando nisso", afirma um analista.