O contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008, tradicionalmente o mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), terminou o dia com taxa de 12,46% ao ano. Na sexta-feira, este mesmo contrato projetava taxa de 12 50% ao ano.

O volume de negócios nesta terça-feira, na volta do feriado de Natal, foi pequeno. Mas, mesmo assim, os juros encontraram fôlego para reduzir mais um pouco os prêmios nos contatos. Segundo operadores, o clima tranqüilo no exterior e a pesquisa Focus, feita pelo Banco Central (BC) com projeções de mercado, divulgada hoje, justificaram o recuo das taxas.

A sondagem do BC mostrou queda na projeção do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2007, de 4,06% para 4%, e da taxa básica de juros do País (Selic) do próximo ano, de 12% para 11 75%.

Operadores observaram, ainda, que o noticiário do final de semana, mostrando sinais de que o desempenho do varejo no período de Natal pode ter sido mais fraco que o esperado, também fomentou um ambiente favorável à queda dos juros.

A questão que continua inspirando cuidado é a fiscal. A notícia de que o presidente Lula pretende elevar o salário mínimo para R$ 380,00 – valor superior ao previsto no Orçamento e ao defendido publicamente pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega – é considerada preocupante. Mas ainda não fez preço.

O mercado monitorará, portanto, as conseqüências dessa definição e a divulgação do esperado pacote de medidas para o crescimento econômico do País, que ficou para janeiro.