A Secretaria da Justiça e da Cidadania e a Brasil Telecom assinaram nesta terça-feira (19) um acordo para prevenção ao uso indevido de drogas lícitas e ilícitas. ?A ação, além de promover a cidadania, visa a sensibilização para o problema das drogas e alcoolismo no ambiente de trabalho. O acordo também vai melhorar a qualidade de vida de funcionários da empresa?, afirmou o secretário Aldo Parzianello.

O diretor institucional da Brasil Telecom, Leôncio Vieira de Rezende Neto, anunciou que a empresa confeccionará novos cartões telefônicos temáticos a respeito da ação preventiva. ?Há estimativa de que sejam produzidas cerca de 200 mil unidades a partir do segundo semestre?, detalhou. A respeito da parceria com a Secretaria, Rezende Neto destacou o trabalho de responsabilidade social da empresa e ?a posição do Governo do Estado em participar de ações com a iniciativa privada em prol dos ideais da sociedade?.

O chefe da Casa Civil, Caíto Quintana, que também assinou o acordo, ressaltou que ?programas dessa natureza aproximam o cidadão, a iniciativa privada e o Estado, promovendo a participação da comunidade em todas as ações sociais?, concluiu.

Objetivos

Cleuza Canan, da Coordenadoria Estadual Antidrogas (Cead), explicou que o termo de cooperação entre a Secretaria da Justiça e da Cidadania e Brasil Telecom tem por um de seus objetivos ?a formação de multiplicadores da ações de políticas públicas eficazes, no caso da prevenção ao uso abusivo do álcool e demais drogas?.

A empresa de telefonia será responsável na divulgação do material produzido pela Cead a respeito do assunto, assim como todos os programas sobre drogas desenvolvidos pela Secretaria. Em contrapartida, a Coordenadoria fica encarregada de promover cursos, seminários, palestras e orientações aos seus colaboradores. ?Essa atividade não tem cunho de repressão, mas sim, de possibilitar uma direção especializada nas mudanças de comportamento de risco?, detalhou Cleuza.

No início do ano, a Secretaria assinou acordo semelhante com a Unimed- PR, cuja estimativa de alcance às campanhas preventivas sobre uso abusivo de drogas lícitas e ilícitas devem atingir 1 milhão de usuários em todo Estado.