A Justiça de Sumaré, no interior de São Paulo, analisa uma denúncia do Ministério Público Estadual (MPE) da cidade de que parte das verbas destinadas ao Hospital Conceição Imaculada entre 1995 e 1997 foi desviada para financiar campanhas de políticos do PSDB na região de Campinas. No relatório da promotora Maria Cristina Martins, são acusados o ex-coordenador do PSDB em 22 cidades da região Alberto Belan e o ex-interventor do hospital Herval Saretti Filho, nomeado pelo Estado.

As investigações tiveram início em 1998, com a instauração de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) na Câmara Municipal. Segundo o vereador Décio Marmirolli (PTB), que integrou o grupo, entre 1995 e 1997, durante intervenção do governo estadual, o hospital recebeu cerca de R$ 20 milhões. Marmirolli contou que os vereadores foram impedidos de ter acesso às contas do estabelecimento.