O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, disse hoje que sua pasta trabalha na política de desenvolvimento do Programa do Biodiesel. Segundo ele, a meta é cobrir 150 mil hectares com culturas voltadas para o biodiesel, o que beneficiaria 30 mil famílias até o fim do ano com assistência técnica, tecnologia de produção e o cuidado de “olhar toda a cadeia produtiva”.

Segundo Rossetto, o ministério tem mais de R$ 100 milhões disponibilizados para financiar lavouras do Programa do Biodiesel e trabalha no sentido de assegurar recursos para assitência técnica.

?Hoje, todo o nosso esforço é no sentido de integrar os agricultores assentados, os produtores industriais e a distribuidora”, disse o ministro.

Rossetto revelou que o presidente Lula tem orientado todo o governo para ?a natureza de inclusão social do Programa do Biodiesel?. Ele explicou que, nesse sentido, sua pasta já está atuante e capacitando agricultores.

O ministro afirmou que, por meio do biodiesel, o governo almeja colaborar com a redução da pobreza rural no país. Para ele, o grande diferencial do projeto “é que ele tem um forte conteúdo de inclusão social?.

Ao citar a mamona como uma das principais oleoginosas capaz de produzir o biodiesel, Rossetto disse ainda que ?o biodiesel é um projeto estratégico para o país, um combustível renovável, limpo e não só diminui a dependência nacional de petróleo como também é um combustível barato. O biodiesel responde à expectativa de um ambiente correto nas grandes metrópoles do país?.